Jump to content

Manel

Elastiko VIP
  • Content Count

    83
  • Joined

  • Last visited

1 Follower

About Manel

  • Rank
    Elastiko(a)
243 profile views
  1. Movimento e apesar de tudo vamos aqui passando. Bom que isto ainda continua em pé.
  2. Ficou 5 estrelas, com os outros 3 themes também resultou . O forum muda logo de cara, bons skins por acaso
  3. Conseguem imaginar quando atingir Africa? ---------- Deixo algo que encontrei numa página: Duas ou três verdades sobre o surto de coronavírus O surto actual de coronavírus foi detectado em meados de Dezembro na cidade de Wuhan que, por sinal, tem o mesmo número de habitantes que Portugal inteiro (onze milhões). Dos 79300 casos identificados a nível mundial, 77000, ou 97.1%, ocorreram na China. Ora, se considerarmos que a esmagadora maioria de casos reportados na China ocorreram em Wuhan, concluímos que incidência da doença na própria cidade epicentro do surto é inferior a 1%. 0.7%, para ser mais preciso. Por outro lado, se considerarmos a população total da China, que a 26 de Fevereiro de 2019 ronda os 1.437 mil milhões de habitantes, chegamos à conclusão que menos de 0.01% da população chinesa está infectada com coronavírus. Isto em três meses de surto. No que diz respeito a mortes causadas pela infecção, destaco que na faixa etária mais vulnerável da população, ou seja, pessoas com idade superior a 80 anos, a taxa de mortalidade foi de 14.8%. O que é que isto significa? Significa que um velhinho de 85 anos, que resida em Wuhan, tem uma probabilidade de 0.7% de contrair a doença e uma probabilidade de 14.8% de morrer se a contrair. Ou seja, um velhinho de 85 anos em Wuhan tem uma probabilidade global de 0.1% de morrer da doença. (0.7% x 14.8% = 0.1%) Nas restantes faixas etárias, a taxa de mortalidade é ainda mais reduzida. Por exemplo, em pessoas com idade compreendida entre os 30 e os 39 anos de idade, a taxa de mortalidade é de 0.2%. Ou seja, voltamos ao mesmo raciocínio. Uma jovem de 35 anos a residir em Wuhan tem uma probabilidade de 0.7% de se infectar com coronavírus. E se se infectar, uma probabilidade de 0.2% de morrer com a doença. Isto dá-lhe uma probabilidade global de morrer de 0.001%. (0.7% x 0.2% = 0.0014%) Dito isto, estes cálculos foram feitos com base no "worst case scenario", ou seja, tendo em conta a incidência da doença na cidade-epicentro do surto, Wuhan. Se fizermos as contas, por exemplo, em relação a Itália, país com mais de 60 milhões de habitantes e 322 casos registados até ao momento, concluímos que a probabilidade de um cidadão italiano morrer na sequência da infecção por coronavírus é, actualmente, infinitesimal. O que quero dizer com todos estes números e contas? Que não há razão para este tipo de alarmismos que os media gostam de incutir na população. A ameaça da nova estirpe de coronavírus é real, facto, mas não a pontos de nos colocarmos todos a preparar um cenário pós-apocalíptico, como já começa a acontecer em cidades italianas como Milão. Mais do que incutir o "fearmongering", ou seja, o culto do medo, que é aquilo que os meios de comunicação social mais gostam de fazer, talvez faça mais sentido explicar à população e garantir que toda a gente percebe quais as medidas a tomar para limitar a transmissão do vírus. Estas medidas são: - Evitar contactar com pessoas que tenham sintomas como tosse ou falta de ar, bem como pessoas com febre; - Evitar tocar directamente nos olhos, nariz e boca; - Tossir e espirrar sempre para um lenço de papel e deitá-lo no lixo logo de seguida; - Se não tiveres um lenço de papel, tosse ou espirra para o antebraço e nunca para as mãos ou muito menos para o ar; - Lavar as mãos com água e sabão depois de ir ao WC, tossir ou espirrar, antes de comer e, se possível, antes de tocares no nariz, olhos ou boca; - Ao lavar as mãos, tem particular atenção ao espaço entre os dedos e debaixo das unhas e nunca demores menos de 20 segundos; - Se não tiveres água ou sabão disponível, utiliza uma solução alcoólica com pelo menos 60% de álcool; - Lavar e desinfectar bem estruturas como maçanetas de portas e outras superfícies nas quais se toque com frequência; - Se estiveres assintomático, não precisas de utilizar máscara. Se conseguirmos pôr toda a gente a cumprir estas medidas, que, por sinal, são exactamente as mesmas medidas preconizadas para limitar a transmissão do vírus da gripe e outros vírus respiratórios, já podemos dizer que este surto não foi em vão. Menos medo, mais informação. (Fonte: Center of Diseases Control [CDC] e Organização Mundial de Saúde [OMS]) https://www.facebook.com/perolasdaurgencia/posts/2993971260613257?__tn__=K-R
  4. 11ª edição VOA - HEAVY ROCK FESTIVAL 2020. 2 e 3 Julho – Estádio Nacional. Update VOA - Heavy Rock Festival 2020: - Passes 2 e 3 de Julho esgotados em todos os pontos de venda - Bilhete diário 3 de Julho à venda nos locais habituais Pontos de venda de Bilhetes: FNAC (lojas e em bilheteira.fnac.pt), Ticketline (www.ticketline.sapo.pt) e Blueticket (www.blueticket.pt). Contactos: Informações: info@voa.rocks Imprensa: imprensa@livecom.pt https://www.voa.rocks/ https://www.facebook.com/events/381937932752811
  5. 11ª edição VOA - HEAVY ROCK FESTIVAL 2020. 2 e 3 Julho – Estádio Nacional. Update VOA - Heavy Rock Festival 2020: - Passes 2 e 3 de Julho esgotados em todos os pontos de venda - Bilhete diário 3 de Julho à venda nos locais habituais Pontos de venda de Bilhetes: FNAC (lojas e em bilheteira.fnac.pt), Ticketline (www.ticketline.sapo.pt) e Blueticket (www.blueticket.pt). Contactos: Informações: info@voa.rocks Imprensa: imprensa@livecom.pt https://www.voa.rocks/ https://www.facebook.com/events/381937932752811
  6. Zirgoleo sempre bom som
  7. Bom som! Caiu mesmo bem
×
×
  • Create New...